Qual a melhor boia pra criança??

O verão está chegando e junto dele vem aquela vontade de curtir o tempo livre na água, não é mesmo?? Seja na praia, piscina, rios ou lagos, é pouco provável que haja alguma atividade tão prazerosa e refrescante nos dias de calor escaldante! Se consideramos ainda que este período coincide com a temporada de férias para grande parte dos brasileiros, passar horas se banhando se torna uma prática extremamente comum entre os entusiastas.

Porém, no caso dos pais de bebês e/ou crianças pequenas, uma certa dúvida sempre surge no horizonte: Qual a melhor boia pra criança??
Afinal, não é surpresa para ninguém que os pequenos adoram brincar na água! Somado a isso, o fato de que afogamentos são a principal causa de acidentes fatais envolvendo crianças no Brasil demonstra a importância de mantê-las protegidas.

Tendo isso em vista, é possível encontrar inúmeros modelos de boias e coletes salva-vidas infantis disponíveis no mercado, ainda que nem sempre suas funcionalidades estejam plenamente asseguradas. Foi pensando justamente nisso que resolvemos esclarecer algumas questões e lhe auxiliar na escolha do produto mais adequado para o seu filho. Se liga nas dicas!

 - Inflável ou rígido?

O primeiro detalhe a ser levado em consideração nesta escolha é o material de confecção do produto.

Facilmente encontrados em lojas, os modelos infláveis chamam a atenção por sua variedade de opções, mas pecam em quesitos fundamentais. Defeitos que os impedem de inflar suficientemente são frequentes, e a fragilidade de sua composição aumenta os riscos de a boia furar e comprometer a segurança da criança.

Já os coletes salva-vidas infantis rígidos são menos comuns no mercado, mas compensam pelos resultados. Materiais como o nylon oferecem grande resistência a quaisquer danos, além de sua durabilidade permitir o uso por muito mais tempo.

- Conforto e mobilidade

Para que o seu filho possa se manter protegido na água sem abrir mão da diversão, é essencial que a boia escolhida ofereça livre movimentação de braços e pernas, auxiliando na natação da criança de maneira confortável e estimulante.

Dessa forma, não é recomendável apostar em modelos que limitem o contato do bebê com a água, pois a sua adaptação ao ambiente pode ser prejudicada.

 

- Sistema de segurança

Fique bem atento aos mecanismos de proteção inseridos no colete salva-vidas!

Cintos e travas são a garantia de que o produto não irá se soltar da criança involuntariamente. Evite recursos como cordão e velcro, que podem descolar com facilidade.

Além disso, é importante verificar se as boias de braço são firmes o bastante, para que elas não saiam do corpo dos pequenos.

 

- Flutuabilidade certificada

Depois de conferir todos estes detalhes, é possível que você esteja se questionando: Qual a garantia de que o produto irá mesmo funcionar?

Pois então, a maneira mais segura de obter uma resposta positiva é averiguar se o item possui a aprovação de autoridade marítima responsável; no caso, a Marinha do Brasil!

Mais do que um reconhecimento, a homologação pela Marinha é a confirmação de que a boia oferece todas as condições necessárias para que as crianças se mantenham protegidas na água!

Vale destacar que o processo de homologação da Marinha é realizado por meio de rigorosos testes que avaliam diversos aspectos do produto. 

Você pode descobrir mais sobre a linha de coletes infantis homologados pela Prolife clicando no link abaixo:

Coletes Homologados Infantis

Equipe Prolife.

Deixe um comentário

Todos os comentários são conferidos antes de serem publicados